sábado, agosto 6, 2022

Kevin Spacey é condenado a pagar US$ 31 milhões por danos de sua demissão de “House of Cards”

O ator de Hollywood Kevin Spacey foi condenado a pagar quase US$ 31 milhões à MRC Entertainment – a empresa por trás de “House of Cards” – por suposta má conduta sexual nos bastidores do programa da Netflix, decidiu um juiz de Los Angeles na quinta-feira, 6 de agosto.

Spacey liderava “House of Cards” e foi removido da série em 2017, depois que acusações de abuso e má-conduta sexual do ator nos bastidores do programa da Netflix vieram a público.

“House of Cards”, por sua vez, caiu em desgraça logo em seguida.

No processo, a MRC argumentou que o ator lhes devia milhões em lucros cessantes por causa de sua má-conduta no set que os forçou a removê-lo da série. Os criadores tiveram que cortar a temporada de 13 para 9 episódios.

Kevin Spacey responde repórteres. Foto: NBC News

Por outro lado, os advogados de Kevin tentaram rejeitar a sentença no início deste ano e alegaram que o comportamento de seu cliente não passava de “insinuações sexuais” e “brincadeira inocente” e não violava a política anti-assédio da empresa.

Alguns críticos argumentam que há muito se sabia do comportamento do ator e a MRC o manteve no papel principal, portanto conhecia os riscos.

Um árbitro nomeado pelo tribunal decidiu em favor da MRC no ano passado, concluindo que Spacey teria tido um “padrão” de comportamento sexual predatório no set da Netflix, pois assediou jovens membros da equipe do programa de sucesso.

O juiz do Tribunal Superior de Los Angeles, Mel Red Recana, confirmou a sentença proferida pelo árbitro em outubro de 2020 em favor da MRC, consistindo em cerca de US$ 29,5 milhões que Spacey terá que pagar por danos e o restante em custos e taxas, informou o Deadline.

Os advogados de Spacey tinham entrado com recurso, pedindo para as conclusões do árbitro serem descartadas. No entanto, Recana negou o pedido e disse que esse “nem é um caso fechado”.